Dar corpo às memórias

O projeto “Dar Corpo às Memórias” teve como objetivo principal a exploração de técnicas inovadoras de envolvimento com a ciência. Desenrolou-se de forma colaborativa entre os parceiros científicos (IGC – Instituto Gulbenkian de Ciência, iNOVA Media Lab), artísticos (museu da FCG – Fundação Calouste Gulbenkian) e administrativos (Câmara Municipal de Oeiras). O público-alvo, uma comunidade sénior de mulheres maioritariamente iletradas e migrantes de África, foi envolvido no projeto desde as fases iniciais, começando na própria escolha do tema – Memória. A fase de implementação do projeto consistiu num conjunto de oito sessões, ao longo de mais de dois meses, durante as quais foram abordados vários temas ligados à memória e ao cérebro. As atividades tiveram natureza diversa desde a apresentação de informação científica, narrativa de histórias da neurociência ou casos de estudo interessantes, partilha de memórias das participantes, até atividades mais interativas de estímulo ao movimento, à abstração e autoexpressão. Além das sessões que decorreram no centro de apoio a migrantes, foram também efetuadas duas visitas (ao museu da FCG e aos laboratórios do IGC) e uma apresentação pública do projeto. O projeto foi qualitativamente avaliado para identificar mudanças de consciencialização, conhecimento, envolvimento, atitude e inclusão social, com recurso à análise das notas de campo, registo de assiduidade, grupos de foco, avaliação qualitativa feita pela comunidade, narrativa do projeto feita pela comunidade e conteúdo da apresentação pública.

 

A descrição e análise desta atividade está publicada em Matias et al. (2021). Journal of Science Communication 20(02).

O mar enrola na areia

“O mar enrola na areia” é uma atividade de educação informal centrada na dinâmica costeira, concebida para estudantes de 10 anos. A atividade combina conceitos e elementos da geociência costeira (vento, ondas, correntes e areia), técnicas narrativas (arco narrativo) e técnicas de dança criativa (movimento, brincar imaginativo e envolvimento sensorial). É feita uma sequência de seis exercícios, começando com a geração de ondas oceânicas ao largo e terminando com o transporte de sedimentos na praia durante condições de tempestade ou de calmaria. Os conceitos científicos são traduzidos em movimentos criativos estruturados, dentro de cenários imaginários, acompanhados por sons ou música. A atividade foi efetuada em colaboração com o Centro de Ciência Viva de Tavira, em 6 ocasiões, totalizando 112 estudantes.

A descrição e análise desta atividade está publicada em Matias et al. (2020). Geoscience Communication 3, 167-177.

Resgate/Procura

O Resgate|Procura pretendeu explorar formatos não convencionais de comunicação de ciência e criar novas parcerias entre instituições culturais. Foi desenvolvido no âmbito do Festival “Encontros do DeVIR”, organizado pelo Centro de Artes Performativas do Algarve, para criação de uma exposição no Teatro Municipal de Faro. A encomenda do diretor do festival foi de 5 fotografias artísticas de grande formato, baseadas nas ciências do mar, para emparelhar com 5 fotografias já existentes das ilhas da Ria Formosa. Para a realização deste projeto contribuíram 4 entidades: o diretor do festival, o fotógrafo Vasco Célio, 5 investigadores do Centro de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Algarve, e uma comunicadora de ciência.

A exposição decorreu entre outubro e novembro de 2020, no foyer do Teatro Municipal de Faro, pelo qual transitaram ±1800 pessoas, tendo sido produzido um livro/folha de sala. A pandemia de COVID-19 causou constrangimentos como alteração de datas, proibição de circulação no interior da exposição e redução de visitantes.

Música Ecológica

O projeto “Música Ecológica como forma de conhecimento mútuo” resulta de uma colaboração entre compositores do Laboratório de Música Mista (LMM) da Escola Superior de Música de Lisboa e investigadores do CCMAR/UAlg (onde é promovido pelo grupo OSMOSE) e do CIMA – Universidade do Algarve. O objetivo final é a composição e apresentação de um ciclo de peças de música eletroacústica sobre o tema geral da Ecologia, que consiga envolver um público diversificado nesta temática ambiental e científica. Foi já apresentado na UAlg, em novembro de 2019, um repertório base do LMM sobre o tema, seguido de uma discussão entre músicos e investigadores acerca desta forma de sensibilização ambiental e comunicação de ciência.

Coordenador da equipa: Rui Borges (rmsantos@ualg.pt), investigador do Centro de Ciências do Mar (CCMAR), Universidade do Algarve.