Projeto Curiosidade e Diversidade Sénior | CIDADÃO+

O projeto Curiosidade & Diversidade Sénior | CIDADÃO+ alia as vertentes de ciência, cultura e comunicação para a promoção da inclusão social e literacia (incluindo literacia científica, digital, artística, saúde), com base numa aprendizagem experiencial e participação ativa. A edição piloto deste projeto destina-se a dois grupos da população sénior do concelho de Tavira: o grupo rural e o grupo urbano.

O desenvolvimento do presente projeto piloto, que integra um conjunto de atividades e experiências em diferentes áreas, permitirá contribuir para o envelhecimento saudável e ativo, assim como para a promoção da socialização e confiança. Durante o projeto serão desenvolvidas e avaliadas atividades que pretendem ter impacte efetivo ao nível da aquisição de capacidades de adaptação a novas situações/contextos e ao nível da participação na sociedade por parte dos idosos.

 

 

 

O projeto conta com equipas de várias instituições:

 

Coordenadora da equipa: Ana Matias (ammatias@ualg.pt), Investigadora do Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve.

Série de animações “O Litoral para Crianças”

O projeto “O Litoral para crianças” consiste numa série de pequenas animações que explora diferentes aspetos da dinâmica das zonas costeiras e destina-se a crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico. “O Litoral para Crianças” é uma iniciativa de Ana Matias e Susana Costas do CIMA – Universidade do Algarve, em colaboração com Irene Delgado-Fernandez da Universidade de Cádis (Espanha), Carlos Loureiro da Universidade de Stirling (Escócia) e o Centro de Ciência Viva do Algarve. Os episódios são narrados por crianças cujos pais pertencem a centros de investigação da Universidade do Algarve.

A série está disponível aqui: https://youtube.com/playlist?list=PLXgQva8tPSto4mTDPL85VhoWHOOC36usA

A série tem cinco curtos episódios onde se explica o que é o litoral, qual a sua dinâmica, os vários ambientes que o compõem (destacando os que se localizam no Algarve), como é que as pessoas afetam o litoral e o que se pode fazer para protege-lo. Os vídeos e o seu conteúdo são de acesso livre, que pode ser visto com ou sem supervisionamento parental e também em contexto educativo.

 

 

As animações são uma adaptação para português e para Portugal da versão original inglesa “Coasts for Kids”, produzida em 2021, sob iniciativa da Prof.ª Irene Delgado-Fernandez, na Edge Hill University (Inglaterra). A versão original foi desenvolvida como parte de uma experiência colaborativa entre crianças e suas famílias, investigadores, professores, artistas, gestores e ilustradores. Estão previstas mais adaptações para outros países e noutras línguas.

A versão original (em inglês) encontra-se aqui: https://www.youtube.com/channel/UC_36P2CqraSgN4MS8NI7VEA

O projeto “O Litoral para crianças” foi desenvolvido no âmbito do projeto ENLACE – Exploring new approaches to simulate long-term coastal evolution, PTDC/CTA-GFI/28949/2017, coordenado pela investigadora Susana Costas.

 

Coordenadora da equipa: Ana Matias (ammatias@ualg.pt), Investigadora do Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve.

Kit Jardins de Sal

Em construção!!

Atividade de sensibilização ambiental com estudantes do 1º/2º ciclos, baseada na utilização de um kit pedagógico composto por diversos materiais e miniaturas exemplificativas dos elementos naturais que compõem os sapais de maré e que permite a realização de um conjunto de atividades experimentais. Pretende-se valorizar o património natural em zonas húmidas.

Coordenadora da equipa: A. Rita Carrasco (azarcos@ualg.pt), Investigadora do Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve.

 

A. Rita Carrasco

A. Rita Carrasco

Investigadora / CIMA - Universidade do Algarve

Kit Jardins de Sal

À descoberta da Ria Formosa

Atividade com duração de uma manhã até um dia, dirigida a crianças dos 8 aos 12 anos acompanhadas pelo professor, onde se abordam aspetos da dinâmica costeira dos vários ecossistemas da Ria Formosa, através do contacto direto com a natureza e atividades desenvolvidas no local.

Dar corpo às memórias

O projeto “Dar Corpo às Memórias” teve como objetivo principal a exploração de técnicas inovadoras de envolvimento com a ciência. Desenrolou-se de forma colaborativa entre os parceiros científicos (IGC – Instituto Gulbenkian de Ciência, iNOVA Media Lab), artísticos (museu da FCG – Fundação Calouste Gulbenkian) e administrativos (Câmara Municipal de Oeiras). O público-alvo, uma comunidade sénior de mulheres maioritariamente iletradas e migrantes de África, foi envolvido no projeto desde as fases iniciais, começando na própria escolha do tema – Memória. A fase de implementação do projeto consistiu num conjunto de oito sessões, ao longo de mais de dois meses, durante as quais foram abordados vários temas ligados à memória e ao cérebro. As atividades tiveram natureza diversa desde a apresentação de informação científica, narrativa de histórias da neurociência ou casos de estudo interessantes, partilha de memórias das participantes, até atividades mais interativas de estímulo ao movimento, à abstração e autoexpressão. Além das sessões que decorreram no centro de apoio a migrantes, foram também efetuadas duas visitas (ao museu da FCG e aos laboratórios do IGC) e uma apresentação pública do projeto. O projeto foi qualitativamente avaliado para identificar mudanças de consciencialização, conhecimento, envolvimento, atitude e inclusão social, com recurso à análise das notas de campo, registo de assiduidade, grupos de foco, avaliação qualitativa feita pela comunidade, narrativa do projeto feita pela comunidade e conteúdo da apresentação pública.

 

A descrição e análise desta atividade está publicada em Matias et al. (2021). Journal of Science Communication 20(02).

O mar enrola na areia

“O mar enrola na areia” é uma atividade de educação informal centrada na dinâmica costeira, concebida para estudantes de 10 anos. A atividade combina conceitos e elementos da geociência costeira (vento, ondas, correntes e areia), técnicas narrativas (arco narrativo) e técnicas de dança criativa (movimento, brincar imaginativo e envolvimento sensorial). É feita uma sequência de seis exercícios, começando com a geração de ondas oceânicas ao largo e terminando com o transporte de sedimentos na praia durante condições de tempestade ou de calmaria. Os conceitos científicos são traduzidos em movimentos criativos estruturados, dentro de cenários imaginários, acompanhados por sons ou música. A atividade foi efetuada em colaboração com o Centro de Ciência Viva de Tavira, em 6 ocasiões, totalizando 112 estudantes.

A descrição e análise desta atividade está publicada em Matias et al. (2020). Geoscience Communication 3, 167-177.

Resgate/Procura

O Resgate|Procura pretendeu explorar formatos não convencionais de comunicação de ciência e criar novas parcerias entre instituições culturais. Foi desenvolvido no âmbito do Festival “Encontros do DeVIR”, organizado pelo Centro de Artes Performativas do Algarve, para criação de uma exposição no Teatro Municipal de Faro. A encomenda do diretor do festival foi de 5 fotografias artísticas de grande formato, baseadas nas ciências do mar, para emparelhar com 5 fotografias já existentes das ilhas da Ria Formosa. Para a realização deste projeto contribuíram 4 entidades: o diretor do festival, o fotógrafo Vasco Célio, 5 investigadores do Centro de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Algarve, e uma comunicadora de ciência.

A exposição decorreu entre outubro e novembro de 2020, no foyer do Teatro Municipal de Faro, pelo qual transitaram ±1800 pessoas, tendo sido produzido um livro/folha de sala. A pandemia de COVID-19 causou constrangimentos como alteração de datas, proibição de circulação no interior da exposição e redução de visitantes.

Música Ecológica

O projeto “Música Ecológica como forma de conhecimento mútuo” resulta de uma colaboração entre compositores do Laboratório de Música Mista (LMM) da Escola Superior de Música de Lisboa e investigadores do CCMAR/UAlg (onde é promovido pelo grupo OSMOSE) e do CIMA – Universidade do Algarve. O objetivo final é a composição e apresentação de um ciclo de peças de música eletroacústica sobre o tema geral da Ecologia, que consiga envolver um público diversificado nesta temática ambiental e científica. Foi já apresentado na UAlg, em novembro de 2019, um repertório base do LMM sobre o tema, seguido de uma discussão entre músicos e investigadores acerca desta forma de sensibilização ambiental e comunicação de ciência.

Coordenador da equipa: Rui Borges (rmsantos@ualg.pt), investigador do Centro de Ciências do Mar (CCMAR), Universidade do Algarve.