Projeto Curiosidade e Diversidade Sénior | CIDADÃO+

O projeto Curiosidade & Diversidade Sénior | CIDADÃO+ alia as vertentes de ciência, cultura e comunicação para a promoção da inclusão social e literacia (incluindo literacia científica, digital, artística, saúde), com base numa aprendizagem experiencial e participação ativa. A edição piloto deste projeto destina-se a dois grupos da população sénior do concelho de Tavira: o grupo rural e o grupo urbano.

O desenvolvimento do presente projeto piloto, que integra um conjunto de atividades e experiências em diferentes áreas, permitirá contribuir para o envelhecimento saudável e ativo, assim como para a promoção da socialização e confiança. Durante o projeto serão desenvolvidas e avaliadas atividades que pretendem ter impacte efetivo ao nível da aquisição de capacidades de adaptação a novas situações/contextos e ao nível da participação na sociedade por parte dos idosos.

 

 

 

O projeto conta com equipas de várias instituições:

 

Coordenadora da equipa: Ana Matias (ammatias@ualg.pt), Investigadora do Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve.

Dar corpo às memórias

O projeto “Dar Corpo às Memórias” teve como objetivo principal a exploração de técnicas inovadoras de envolvimento com a ciência. Desenrolou-se de forma colaborativa entre os parceiros científicos (IGC – Instituto Gulbenkian de Ciência, iNOVA Media Lab), artísticos (museu da FCG – Fundação Calouste Gulbenkian) e administrativos (Câmara Municipal de Oeiras). O público-alvo, uma comunidade sénior de mulheres maioritariamente iletradas e migrantes de África, foi envolvido no projeto desde as fases iniciais, começando na própria escolha do tema – Memória. A fase de implementação do projeto consistiu num conjunto de oito sessões, ao longo de mais de dois meses, durante as quais foram abordados vários temas ligados à memória e ao cérebro. As atividades tiveram natureza diversa desde a apresentação de informação científica, narrativa de histórias da neurociência ou casos de estudo interessantes, partilha de memórias das participantes, até atividades mais interativas de estímulo ao movimento, à abstração e autoexpressão. Além das sessões que decorreram no centro de apoio a migrantes, foram também efetuadas duas visitas (ao museu da FCG e aos laboratórios do IGC) e uma apresentação pública do projeto. O projeto foi qualitativamente avaliado para identificar mudanças de consciencialização, conhecimento, envolvimento, atitude e inclusão social, com recurso à análise das notas de campo, registo de assiduidade, grupos de foco, avaliação qualitativa feita pela comunidade, narrativa do projeto feita pela comunidade e conteúdo da apresentação pública.

 

A descrição e análise desta atividade está publicada em Matias et al. (2021). Journal of Science Communication 20(02).